21 dezembro, 2010

✎Despenteada

Aprendi que é preciso deixar que a vida te despenteie. O mundo é louco, definitivamente louco. O que é gostoso, engorda. O que é lindo, custa caro. O Sol que ilumina o rosto enruga. E tudo que é bom nessa vida despenteia. Fazer amor despenteia. Rir às gargalhadas despenteia. Viajar, correr, entrar no mar despenteia. Tirar a roupa despenteia. Beijar na boca despenteia. Brincar despenteia. Cantar e dançar despenteia. Sempre vai estar mais despenteada a mulher que decide ir no primeiro carrinho da montanha russa, do que aquela que decide não subir. Pode ser que me sinta tentada a ser uma mulher impecável, toda arrumada por fora. Em compensação todos os meus sentimentos estarão em um verdadeiro desalinho. Em uma sociedade que exige e condiciona as pessoas a ter boa presença, arrume o cabelo, compre a roupa da moda, use salto quinze, scarpin. Caminhe e sente-se direito, fique seria, não sorria, tenha classe. Eu talvez deveria seguir as instruções, obedecer as regras, mas quando vão me dar a ordem de ser feliz? Então entregue-se, coma coisas gostosas, abrace, dance, apaixone-se, relaxe, viaje, pule, corra, ande de bicicleta, abrace os animais, observe a Natureza. Arrume-se para ficar confortável, admire a paisagem e curta a viagem deixando a vida te despentear!!! O pior que pode acontecer é que, rindo frente ao espelho, você precise se pentear de novo. (texto retirado da web autor anônimo - *modificada)

Nenhum comentário:

Postar um comentário